Partituras no formato PDF

Die Welt  der Töne – Musik-Bücherei Weissenturn – coleção para piano (digitalizada)

Johann Sebastian Bach (21/03/1685 – 28/07/1750)

O Cravo Bem Temperado – Prelúdio nº 1

Robert Alexander Schumann (08/07/1810 – 29/07/1856)

Papillons, Opus 2 (1830-31)

Intermezzi, Opus 4 (1822)

Davidsbündler, Opus 6 (1837)

Fantasiestücke, Opus 12 (1847)

Gesänge der Frühe, Opus 133

Licença Creative Commons JuarezBarcellos.WordPress.com de Juarez Barcellos de Paula, licenciado sob uma licença CreativeCommonsAtribuiçãoNãoComercialCompartilhaIgual3.0NãoAdaptada.

 

8 opiniões sobre “Partituras no formato PDF

  1. Olá, prof. Juarez! Sou prof. de História e músico, residente na cidade de Fortaleza – CE. Gostaria de alertá-lo para erros na autoria da música e letra do Hino Nacional. Por favor, olhe o site do Planalto Nacional. Grande abraço!

  2. Bom dia Juarez Barcellos. Você poderia conseguir para mim a partitura do bolero BIS PARA O AMOR do Roberto Stanganelli. Obrigado. Aguardo retorno.

  3. Acho suas partituras mnuito fracas porque não tem arranjo pois esta faltando o mais importante que é a harmonia. O violão é um instrumento polifonico e partitura de melodia deixa a desejarl

    • Olá, José Domingues.
      Tudo bem? Espero que sim.

      Perfeita colocação! Se pensarmos em partitura como a soma das partes escritas em pauta musical, podemos afirmar que tenho poucas partituras publicadas. E ainda, se pensarmos nas composições para violão, seja de autores antigos, ou contemporâneos, por que eu as publicaria, se eles próprios já as publicaram? Sobram então, as canções populares e os estudos de técnica específicas e leitura para eu publicar, e eu os tenho publicado, mas aí está uma questão que eu considero fundamental, que é a seguinte: eu ensino e estimulo os alunos a lerem partituras, mas sem ficarem dependentes delas.

      O violonista precisa saber construir um arranjo a partir de uma melodia, com base nas cifras alfanumericas, ou até mesmo, sem elas. A prática deste raciocínio é fundamental para que o estudante do violão se sinta capaz de colocar em prática tudo o que aprendeu de técnica nos formatos de arranjos partiturados.

      Outro ponto muito importante é a liberdade técnica que o violonista precisa ter para montar um arranjo para violão a partir de uma partitura de arranjo para coral, ou para piano, por exemplo.

      Portanto é fundamental que o estudante do violão conheça os conceitos da harmonia, que é parte da teoria musical. Sobre polifonia, é importante considerarmos que se trata de uma textura da composição, ou do arranjo, que pode se apresentar na pauta musical, ou não. Por exemplo: uma partitura para violão pode estar construídas em blocos harmônicos, neste caso não há polifonia.

      José Domingues, muito obrigado por participar.
      Se precisar de alguma orientação nesse sentido, sinta-se à vontade. Estou sempre por aqui.

      Abraços, violonista!
      Atenciosamente;
      Juarez Barcellos.

Obrigado pela visita!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.